Processo de infusão

O processo de infusão é a fabricação de peças de fibra de vidro através da injeção de resina e aplicação de vácuo. É feita com contra-molde flexível (seja ele de filme ou pele de silicone). O objetivo é maximizar o teor de vidro no compósito e é indicado para peças grandes, de geometria complexa e que requerem resistência à corrosão.

Imagem

O processo

O processo de infusão a vácuo é um dos processos mais inovadores na indústria náutica. É um método que muitas vezes acaba sendo mais eficiente e prático do que o de laminação, por exemplo. Claro que cada caso é um caso e exigem processos e métodos de construção específicos dependendo de seu tamanho e utilização.

Sobretudo, podemos dizer que este é o processo utilizado para a construção de peças de alta performance e qualidade, podendo alcançar até 70% de teor de vidro. Esta técnica pode ser vista na fabricação por exemplo de barcos pelos grandes estaleiros mundo a fora ou naqueles enormes geradores de energia eólica. Possui escala industrial, e assim, requer estrutura e experiência para ser realizado.

Qualidade Luma

Primordialmente, no processo de infusão a vácuo, todo o material, espumas de PVC e tecidos são colocados secos no molde já pronto. Desta forma são envolvidos por uma bolsa plástica de vácuo. Ao acionar a bomba de vácuo, o ar sairá do plástico e a resina será transferida, através de mangueiras ligadas a um balde de resina, para dentro das camadas de fibra pela ação diferencial de pressão interna e externa.

Os laminados fabricados pelo processo de infusão são mais resistentes que os laminados convencionais fabricados manualmente, visto que sua impregnação por entre as fibras chega a 70%, enquanto que na laminação manual atinge em média 30% do teor de fibra. Com o processo de infusão, deixamos de lado problemas ambientais e de insalubridade, já que não há desperdício de material, e não há contato direto entre o construtor e as resinas. Além da baixa emissão de estireno no ambiente.